orçamento de logotipo

Solicite um orçamento

Criamos nomes para empresas e desenhos de logomarcas

Fale conosco pelo WhatsApp abaixo:

(11) 9958-12346

Simbologia do arroz

Em algumas culturas, derramar arroz cru na cozinha ou encontrar arroz no chão, ou pelo caminho significa felicidade, sorte, amor, e prosperidade na vida.

Na ásia, o arroz tem a mesma importância simbólica que o trigo tem na Europa e Oriente Médio.

O arroz tem origem divina, pois é encontrado na abóbora primordial divina da mitologia oriental (assim como o ser humano).

O arroz é tema de todas as principais culturas e civilizações na Ásia. O trabalho pesado nas lavouras de arroz é consequência da ruptura das relações entre o mundo terreno e o mundo celestial, divino.

No Jaspão, conta a lenda que o arroz foi levado para ilha pelo príncipe Ninigi, neto de Amaterasu, e no ritual japonês o imperador prova do arroz colhido ao lado da deusa do sol. O arroz é para os japoneses o símbolo da abundância, devido ao seu poder celestial.

Alimento da vida e da imortalidade, o arroz vermelho é armazenado com muito zelo pelas sociedades secretas da antiga China. Segundo o ritual chinês, o arroz provém do senhor Mingo, ou seja, da Luz do Conhecimento Divino.

Desde antigamente já se sabia que o arroz vermelho pode se transformar quimicamente em cinabre (sulfeto vermelho de mercúrio). Por isso podemos relacionar o enxofre vermelho do espterismo islâmico com a obra em vermelho do hermetismo ocidental.

O arroz também simboliza a riqueza, a abundância e a pureza. Devemos observar que no ocidente o arroz branco é símbolo de felicidade e fecundidade, e por isso nas cerimônias de casamento são lançados grãos de arroz sobre o casal recém consagrado por um sacerdote.

Reis e imperadores da antiguidade deram ao arroz o estatus de divindade. Na Indonésia ainda é considerado um presente dos Deuses Hindus ao povo local. Os Chineses frequentemente cumprimentam-se com a saudação: “Já consumiu hoje o teu arroz?”. Na Tailândia é proibido pisar em seus grãos, e na Malásia e na ilha de Java é considerado um pecado estragar o arroz.

 

Tipos de arroz

Arroz Branco – É o que normal­mente usamos. Podemos encon­trá-lo com grãos curtos, médios e longos. Dentro dessa classe encontramos o arroz parborizado, que é um arroz que tem menos tratamen­to, por isso acaba por preservar mais os nutrientes.

Arroz Arbório – É italiano de grãos arredondados, de textura cre­mosa, que não deve ser lavado antes do seu uso. A lavagem retira o amido contido nos grãos e é ele que dará a cremosidade nos famosos risotos, mas pode ser usado em do­ces, como no arroz-doce.

Arroz Integral – A casca não foi retirada, e preserva todo o seu valor nutricional.

Arroz para Sushi – Existem vários tipos de arroz no preparo do sushi (Koshihikari, Sasanishiki e Hatsunishiki). Para preparar, ele deve ser cozido no vapor e depois combinado com uma mistura de açúcar, sal e vinagre de arroz.

Arroz Preto – A antocianina contida nele é que causa essa cor. É um arroz integral com muitos nu­trientes e que pode ser encontrado na versão curta (chinesa) e longa (tailandesa). Ele é perfeito para pratos doces, como o arroz-doce. Conhecido como o “arroz proibi­do” porque na China só imperado­res podiam consumi-los.

Arroz Basmati – Vem da Índia e do Paquistão, muito aromático (seu nome significa cheiroso). Pode ser encontrado integral ou branco e tem os grãos longos. Muito usado em pratos indianos, curry e frituras.

Arroz Vermelho – É m grão integral que teve sua casca removida. Existem dois tipos: o grão longo (da Tailândia) e o cultivado no Butão, que é médio. Não esqueça de escorrer antes de servir. Tem muitos nutrientes.

Arroz Jasmine – Vem da Tailândia e é conhecido também como Hom Mali. Precisa ser lavado antes de cozinhar e precisa de menos água do que o arroz branco comum para ficar no ponto. Adoro este arroz com leite de coco.

 

Os grãos como símbolos

O grão, que morre e se multiplica, é o símbolo das mudanças da vegetação. Desde a antiguidade clássica na Grécia, o grão de trigo já era mencionado nos hinos homéricos. Seu simbolismo se eleva, porém, acima dos ritmos da vegetação para significar a alternância da vida e da morte, da vida no mundo subterrâneo e da vida à luz do dia, do não manifestado à manifestação.

Os ritos de iniciação, sobretudo nos mistérios de Elêusis, têm por objetivo livrar a alma dessa alternância e fixá-la na luz. A forma particular do grão de lentilha atrai o olhar e faz ressaltar a brancura luminosa que o cerca. A lentilha se chama em francês grain de beauté e poderia ser traduzida como "grão da beleza".

 

Significados de vários tipos de grãos:

  • Arroz: prosperidade, fertilidade e união.
  • Milho: melhorar as finanças, limpar o ambiente
    pesado energeticamente e abrir os caminhos.
  • Milho de canjica: saúde e paz.
  • Café: novos projetos, oportunidades, proteção.
  • Feijão: saúde, sucesso nos negócios e proteção.
  • Pimenta: atrair dinheiro e aumentar a percepção.
  • Trigo: abundância, prosperidade e fortalecimento das conquistas pessoais.
  • Lentilha: energias positivas, sorte e abundância.
  • Girassol: para fatura e realização de sonhos.

 

 Fonte: Livro Dicionário dos Símbolos, por Jean Chevalier e Alain Gheerbrant, editora J.O.

 

Artigos relacionados

Criação de símbolos comerciais e desenhos de logotipo para empresas do agronegócio, laticínios e pecuária

Criação de nome fantasia para fazendas, pecuaristas, laticínios e empresas do agronegócio

Modelos de logomarca para fazendas, pecuária, laticínios e empresas do agronegócio

 

 


Página atualizada por Everton Ferretti em 17/03/2022 na Agência EVEF