orçamento de logotipo

Solicite um orçamento

Criamos nomes para empresas e desenhos de logomarcas

Fale conosco pelo WhatsApp abaixo:

(11) 9958-12346

O pão nosso como símbolo

pao simbolo sagrado historico

O pão é, evidentemente, símbolo do alimento essencial. Se é verdade que o homem não vive só ele pão, apesar disso, é o nome de pão que se dá à sua alimentação espiritual, assim como ao Cristo eucarístico, o pão da vida.

É o pão sagrado da vida eterna, do qual fala a liturgia. "Bem-aventurados", escreve São Clemente de Alexandria, "aqueles que alimentam os que têm fome de justiça pela distribuição do Pão".

Os pães de proposição dos hebreus também não tinham significado diferente desse. E o pão ázimo — do qual se compõe a hóstia hoje — "representa ao mesmo tempo", diz São Martinho, "a aflição da privação, a preparação para a purificação e a memória das origens".

É tradição que Beith-el, a Habitação Divina, que é a pedra erguida de Jacó, tenha se transformado em Beith-lehem (a casa do pão). A casa de pedra é transformada em pão, isto é, a presença simbólica de Deus em presença substancial, em alimento espiritual, e não absolutamente material, como ainda o propõe o tentador no Evangelho.

O pão — nas espécies eucarísticas — se relaciona tradicionalmente com a vida ativa, e o vinho, com a vida contemplativa; o pão, com os pequenos mistérios, e o vinho, com os grandes mistérios; coisa que se pode aproximar do fato, nota M. Schuon, de que o milagre do pão (sua multiplicação) é de ordem quantitativa, enquanto o milagre do vinho (nas bodas de Caná) é de ordem qualitativa.

O simbolismo do fermento se exprime, nos textos evangélicos, sob dois aspectos: de um lado, ele é o princípio ativo da panificação — símbolo de transformação espiritual; sua ausência comporta, por outro lado — voltamos aqui à significação do pão ázimo —, a noção de pureza e de sacrifício.

 

O pão em 15 diferentes regiões do mundo

A história do pão é quase tão antiga quanto a da nossa civilização, por isso temos tantos tipos de pães em diferentes países e regiões do mundo. Vejamos abaixo alguns exemplos.

pao de queijo simbolo brasil

Brasil

O Brasil conquistou o mundo com o famoso Pão de Queijo criado em Minas Gerais.

Vamos ver o que os outros países fizeram para destacar a sua panificação:

Pães de Israel

Os pães da gastronomia judaica sofreram influências da cozinha polonesa e russa. Hoje em dia, no entanto, suas receitas se espalharam por todo o planeta, e alguns dos pães judaicos mais conhecidos são:

  • Bagel
  • Chalá
  • Matzá

Pães do Reino Unido

O consumo de pão na Inglaterra data pelo menos da Era Viking (século VI), quando o pão de centeio era o mais encontrado por lá. Na Era Medieval, além de acompanhar as refeições, o pão também era usado como base para a preparação de molhos e cozidos de carne.

Mais tarde, ele passou a fazer parte do famoso chá da tarde, para o qual foram desenvolvidas receitas mais delicadas, que lembram mais biscoitos do que pães - atualmente os mais famosos são:

  • Cottage loaf
  • Crumpet
  • Hot cross bun
  • English muffin

Pães do Japão

Apesar de a panificação japonesa conter uma lista extensa de receitas importadas ou adaptadas de outras culturas, eles também têm muitos produtos únicos e com ingredientes característicos da culinária nipônica:

  • Anpan
  • Melonpan
  • Dorayaki
  • Pão de arroz 

Pães da China

Diferentemente da Europa, os grãos cultivados pelos chineses eram mais usados na produção de massas de macarrão ou pastéis do que pães. Por isso, a panificação desse país é muito diferente da nossa:

  • Laobing
  • Shaobing
  • Baozi

Pães da Austrália e Nova Zelândia

Para a grande decepção de muitos turistas brasileiros, aquilo que chamamos aqui de “pão australiano”, na verdade, não existe na Austrália. Porém, o povo maori é inventor do que provavelmente é uma das receitas de pão mais antigas do mundo, e inclui os pães:

  • Damper
  • Bush bread (ou seedcake)
  • Rewena
  • Fairy bread (ou pão de fadas), servido principalmente nas festas infantis.

Pães de Portugal

A confeitaria portuguesa nos oferece:

  • Folar
  • Pão alentejano
  • Pão de Mafra
  • Bolo de caco
  • Broa de milho

Pães da Índia

Especialistas em pães chatos, os indianos têm dezenas de receitas diferentes para esse tipo de pão, cada uma dedicada a acompanhar um prato diferente de sua vasta e temperadíssima culinária:

  • Roti (ou chapati)
  • Naan
  • Luchi
  • Kulcha
  • Puran Poli

Uma particularidade dos pães indianos é a predominância de farinha de arroz, principalmente no sul do país, além de duas farinhas de trigo especiais, chamadas de Atta e Maida.

Pães da Alemanha

Conhecidos no Brasil como “pão alemão”, originalmente seu nome é Pumpernickel. Trata-se de um pão integral de centeio extremamente denso, tradicionalmente preparado com fermentação natural (ou Sauerteig, em alemão) e que é consumido em finas fatias, geralmente com queijo, embutidos, salmão defumado, banha de porco e outros frios.

Mas além do Pumpernickel, a panificação alemã possui uma imensa variedade de pães, incluindo:

  • Stollen
  • Kürbiskernbrötchen ou -brot
  • Weißbrötchen ou Semmel
  • Brezel ou Pretzel
  • Brötchen

Pães da França

Quando se fala em pão aqui no Brasil, todos lembramos do pão francês, o nosso pãozinho branco de cada dia, de miolo macio e crosta bem fina. Mas a realidade é que essa receita, criada aqui no século XX, é mais uma adaptação brasileira do que uma importação da França. Tanto é que não encontramos o famoso pãozinho em nenhuma boulangerie de Paris. O que encontramos frequentemente na França são:

  • Baguette
  • Brioche
  • Pain de campagne
  • Pain d’épices

Pães árabes

Mestres dos pães chatos (ou achatados), os povos árabes produzem uma variedade muito maior do que as que conhecemos aqui no Brasil com o nome de pão árabe ou pão sírio. Enquanto alguns deles são usados como acompanhamento de pastas e frios ou para envelopar sanduíches típicos, existem ainda aqueles que são consumidos de outras formas:

  • Barbari
  • Bolani ou Peraki
  • Pão de grão-de-bico
  • Lavash

Pães dos Países Baixos (inclui a Holanda)

Nos Países Baixos, o pão é consumido pelo menos no café da manhã e no almoço, geralmente acompanhado dos deliciosos queijos nacionais (como Gouda ou Edam) ou arenque defumado, salsichas, entre outras iguarias típicas.

  • Suikerbrood
  • Tijgerbrood
  • Ontbijtkoek

Pães da Itália

A Itália possui a mais tradicional e extensa cultura de panificação do mundo, cada região da Itália tem seus tipos de pães específicos, mas em todo o país o costume de consumir o pãozinho em praticamente todas as refeições é unanimidade, e ele é sempre acompanhamento essencial para “limpar o prato” raspando o molho no final do jantar ou almoço, por exemplo.

Alguns dos pães mais populares da tradição italiana, além da pizza, são:

  • Focaccia
  • Ciabatta
  • Pandoro
  • Piadina

Pães do Equador

Embora o trigo só tenha chegado à América do Sul a partir da colonização europeia, na região dos Andes, os povos quéchuas já utilizavam a quinoa para preparar muitos de seus alimentos, inclusive pães. Por isso lá encontramos:

  • Pão de quinoa
  • Guagas de pan

Pães da Finlândia

Assim como em grande parte dos outros países nórdicos, na Finlândia o pão também é parte importantíssima da alimentação básica, e sua culinária é influenciada pela culinária sueca (sua vizinha).

  • Ruisleipä
  • Rieska
  • Kaurasämpylä
  • Sämpylä (significa simplesmente “pão de sal” em finlandês)

 

Artigos relacionados

Criar logotipos e logomarcas para padarias, pizzarias e restaurantes

Criar nome fantasia ou nome de marca comercial para pizzarias

Modelos de logomarcas para pizzarias e padarias

Mudança e modernização em desenhos e símbolos de empresas de alimentação

Logomarcas em feiras e eventos sobre panificação e indústria alimentícia

 

Fonte: Livro Dicionário dos Símbolos, por Jean Chevalier e Alain Gheerbrant, editora J.O.


Página atualizada na Agência EVEF em 18/03/2022 por Everton Ferretti